Dengue: mutirão em Salvador tenta conter aumento de doenças no início do ano

Campanha Nacional de Combate ao Mosquito ocorreu em todas as capitais brasileiras e no interior do estado

Com o apoio das Forças Armadas e de agentes de endemias, nesta sexta-feira (02), moradores de Salvador e de pelo menos dez cidades baianas saíram às ruas, realizaram mutirões de limpeza e mobilizaram unidades de ensino à procura de possíveis focos do mosquito Aedes aegypti.  As ações, que ocorreram em todas as capitais do país, fizeram parte do Dia Nacional de Combate ao Mosquito, que é transmissor da dengue, zika e da chikungunya.

A situação da capital baiana inspira cuidados e o crescimento do nível de infestação apontado pelo último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), que alcançou 2,3 no mês passado (o nível aceitável é de até 0,9), pode apontar o adoecimento da população. “LIRAa alto agora significa doença no primeiro semestre do ano que vem”, adverte o secretário de Saúde de Salvador, José Antônio Rodrigues.

Na Escolab de Coutos, a tecnologia se mostrou eficiente na mobilização de crianças. Elas estiveram pela manhã jogando em tablets o jogo “Mosquito Não”, apelidado pelos estudantes de “Mosquito Go”, em referência ao aplicativo do desenho Pokémon. “A gente tem que procurar garrafas para virar, jogar fora os pneus, colocar terra na planta. Com isso vamos achar e evitar os mosquitos”, conta o estudante Gabriel Marques, 12 anos, em referência ao jogo. “A gente consegue ver isso na rua também e já fica atento”, completa outro estudante, Gabriel Ferreira, 9. Segundo a professora de Jogos de Linguagens Tâmiles Gonzaga, os estudantes têm conseguido se entreter e levar a consciência contra o mosquito para casa. A unidade foi uma das visitadas pela comitiva dos governos federal, estadual e municipal.

Inspeção
Órgãos do poder estadual e municipal participaram dos eventos de mobilização em escolas do Subúrbio Ferroviário e, representando o governo federal, compareceu o secretário de Articulação Social da Secretaria de Governo da Presidência da República, Henrique Villa.

“É uma oportunidade de estarmos com o governo da Bahia e de Salvador, juntos, pelo combate ao mosquito. A gente veio de Brasília para isso e é uma oportunidade de estar aqui forjando novos projetos, que a gente pode agregar a outras ideias. Foi o presidente da República (Michel Temer) que exigiu que os seus ministros fossem aos estados para dar esse apoio e tive o prazer de vir para Salvador”, afirmou Villa.

As vistorias tiveram início na Escola de São Tomé de Paripe e ao longo do dia foi agendada a inspeção de outras 441 escolas municipais, 160 unidades de saúde, além de mutirão de limpeza em parceria com a Limpurb nos bairros de Pau da Lima e Canabrava. Integrado com as ações nacionais, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) realiza o D Olho no Mosquito, que vai cuidar dos espaços de trabalho ligados à Prefeitura de Salvador.

No interior do estado, segundo técnicos da Sala Estadual de Coordenação de Controle das Arboviroses que compareceram ao evento, as ações são similares. As cidades de Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Conceição do Jacuípe, Eunápolis, Governador Mangabeira, Itiúba, Paripiranga, Paulo Afonso, Ruy Barbosa e Serra do Ramalho são as que tiveram maior mobilização por conta da alta infestação. Essas dez cidades ganharam um veículo modelo Doblô, doado pelo Ministério da Saúde, para ajudar no deslocamento das equipes de combate ao mosquito.

140 toneladas de lixo
Segundo o secretário José Rodrigues, o crescimento do LIRAa nos três últimos meses na capital causa preocupação por conta da aproximação do Verão, período com maior histórico de infestação. Por conta disso, Salvador antecipou em 30 dias as ações da campanha que está sendo lançada oficialmente agora pelo Ministério da Saúde. O foco das ações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em parceria com a Limpurb são os mutirões, que desde hoje passaram a contar com o apoio da Secretaria Municipal de Educação, que dará mais atenção às unidades escolares (com as inspeções e trabalhos socioeducativos). Além disso, a campanha chegou nas estações de transbordo e em pontos comerciais de grande porte de áreas com maior infestação.

“Apenas esse mês nós recolhemos 140 toneladas de lixo domiciliado, ou seja, entulhos que as pessoas guardavam dentro de casa expostos ao tempo”, estima José Rodrigues. “Temos todo um trabalho dos últimos três anos e não queremos perder, nosso objetivo é chegarmos em janeiro com índices abaixo de 2”, completou.

Ricos e pobres
O LIRAa divulgado na cidade é uma média, o que quer dizer que a cidade com maior exposição ao mosquito, como é o caso da região do Subúrbio Ferroviário. “A situação daqui está acima de 3.9, é considerado emergencial e foi por aqui que começamos os mutirões”, afirma o secretário de Saúde. “É interessante observar que há áreas também periféricas da cidade que têm índices próximos de zero, que foi quando teve maior mobilização da sociedade, como por exemplo Massaranduba. Enquanto isso temos áreas nobres da cidade que voltaram a ter crescimento de infestação como o Itaigara por causa de descuidos”, alerta José Antônio. Uma das razões do crescimento do LIRAa é o clima dos últimos dias. “A chuva seguida de sol é o playground do mosquito”, afirma o secretário, referindo-se as condições ideais para a proliferação do Aedes.

Fonte: Dengue: mutirão em Salvador tenta conter aumento de doenças no início do ano – CORREIO | O QUE A BAHIA QUER SABER:

Vítima do zika vírus, mãe relata como descobriu que o filho tinha microcefalia

Vítima do zika vírus, mãe relata como descobriu que o filho tinha microcefalia

Fonte: Vítima do zika vírus, mãe relata como descobriu que o filho tinha microcefalia

“Dia D de Combate à Dengue” acontece nesta sexta-feira em Salvador

Nesta sexta-feira (2), acontece em Salvador o “Dia D de Combate à Dengue”, mobilização nacional de combate ao mosquito transmissor da doença. A ação terá início na Escola Municipal Otaviano Pimenta, em São Tomé de Paripe, às 9h, com a presença de representantes dos governos municipal, estadual e federal.

Ao todo, serão inspecionadas 441 escolas do município, 160 unidades de saúde, além de haver também mutirão de limpeza, em parceria com a Limpurb, nos bairros de Pau da Lima e Canabrava. A mobilização acontece em parceria com as Forças Armadas, que atuarão juntamente com os agentes de endemias para a eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika Vírus e Chikunguya.

“O ultimo índice de infestação predial  (IIP), realizado entre os dias 3 e 7 de outubro, revelou que Salvador está em situação de alerta para o risco de uma epidemia, com um índice de 2,3% de infestação predial. Além disso, 34 bairros da capital apresentarem índice de 3,9%, ou seja, acima do recomendado, por isso a importância da continuidade dos trabalhos”, ressaltou a coordenadora de Vigilância à Saúde da Prefeitura, Isabel Guimarães.

Na programação especial, além das inspeções em escolas e unidades de saúde, os agentes atuam também no projeto “D Olho no Mosquito”, que é mais uma iniciativa da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). O trabalho tem como objetivo dar exemplo de cuidado e responsabilidade com os espaços laborais da Prefeitura, garantindo que as instalações estejam livres de foco do mosquito.

Outros pontos estratégicos para ação da campanha foram pensados para um maior alcance da população sobre a conscientização do controle do mosquito, como: estações de transbordo, aeroporto, rodoviária, ferry boat, estação de trem da Calçada, Elevador Lacerda e shoppings.

Fonte: “Dia D de Combate à Dengue” acontece nesta sexta-feira em Salvador – Notícias – Metro 1

Atendimento de denúncias

apurar denuncia dengue agentes ccz salvador bahia mosquito zero projeto mobilizacao socioeducativa contra a dengue fiocruz bahia

Os agentes do CCZ fazem apuração de denúncias de foco, para denunciar, ligue para 3202-1808, este é o canal exclusivo do CCZ para esta finalidade. Além disto, foi lançado este ano o aplicativo para smartphone chamado Mosquito Zero, disponível para smartphones da plataforma android. Não deixe de fazer a sua parte.

 

Entrega de capas protetoras

No dia 31/10, os agentes do CCZ foram entregar às capas protetoras para caixas d’água e tonéis em situação de vulnerabilidade.

egentes ccz salvador bahiaOs moradores receberam as capas e foram instruídos sobre a segurança no armazenamento de água, lembramos que o mosquito da dengue deposita seus ovos em ÁGUA LIMPA E PARADA, não importa se for da chuva, de cisterna, fonte ou da rede de distribuição. Em algumas casas, foram encontrados focos em tonéis.

projeto de mobilização socioeducativa contra a dengue fiocruz bahiaApós receberem as instruções dos agentes, as capas foram instaladas.

projeto de mobilização socioeducativa contra a dengue fiocruz bahiaprojeto de mobilização socioeducativa contra a dengue fiocruz bahia

Mesmo com as capas, há casos de armazenamento de água em ambiente sem cobertura, neste caso o cuidado é redobrado pois, em caso de chuva, pode-se acumular água sobre o material e a depender das condições locais, o mosquito poderá depositar seus ovos.

capas protetoras projeto de mobilização socioeducativa contra a dengue fiocruz bahiacapas protetoras projeto de mobilização socioeducativa contra a dengue fiocruz bahia

Agradecemos o apoio dos agentes na mobilização!

Índice de infestação da dengue em Salvador cresce: secretaria da Saúde alerta para epidemia – CORREIO | O QUE A BAHIA QUER SABER:

De junho para outubro, índice cresceu 0,9% e alcançou 2,3%, o que aponta pelo menos dois imóveis com focos a cada 100

Fonte: Índice de infestação da dengue em Salvador cresce: secretaria da Saúde alerta para epidemia – CORREIO | O QUE A BAHIA QUER SABER:

Casos de Mayaro preocupam cientistas

Além do Zika Vírus, Dengue (1,2,3 e 4),  Chikungunya e Febre Amarela, um vírus descoberto na década de 1950  têm alertado cientistas pelo aumento do número de novos casos. Trate-se do vírus Mayaro, com sintomas muito parecidos ao Chikungunya. Por ser geneticamente parecido ao Chikungunya, preocupa os cientistas pois, como sabemos, temos mosquitos em grandes populações no meio urbano, e caso esse vírus consiga migrar para áreas urbanas, isso seria um grande problema à saúde pública. Mas, este fato serve para nos alertar da necessidade imediata de vistoriar cada possível criadouro do mosquito Aedes. É muito importante que cada morador faça sua parte, vistoriando sua casa, e alertando vizinhos e familiares da importância de manter livre de larvas, e mosquitos. Também devemos cobrar das autoridades, a responsabilidade por limpeza de locais públicos. Todos fazendo a sua parte, podemos evitar maiores problemas.

Fonte: http://www.bbc.com/portuguese/geral-37795178

Estamos fazendo o suficiente?

Vamos intensificar nossas ações diárias, para impossibilitar a procriação do mosquito Aedes. Agora com Dengue, Zika e Chikungunya circulando, não podemos vacilar. Convoque seus familiares e vizinhos à vistoriarem seus imóveis e eliminar qualquer possível criadouro do mosquito. O mosquito não é mais forte que um país inteiro.

Brasil vive tríplice epidemia de vírus transmitidos pelo Aedes aegypti | Agência Brasil

Com 91 mil casos de Zika, 802 mil de dengue e 39 mil de chikungunya, o Brasil vive desde 2015 uma epidemia das três doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. “O Brasil vive uma tríplice epidemia dos três arbovírus. Ano passado já vivíamos e ela continua”, disse hoje (26) o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch. A tendência, no entanto, é que as ações de combate ao mosquito, intensificadas em janeiro, reduzam a incidência das doenças, segundo o diretor. Dengue

Fonte: Brasil vive tríplice epidemia de vírus transmitidos pelo Aedes aegypti | Agência Brasil